Equipa ADA

Conhece as pessoas por trás da coordenação da rede Abrir de Asas

Joana Machado

Responsável Acção Corporativa

Nasci no Porto e sempre vivi na cidade. Estudei Educação Social porque acreditava que podia contribuir para mudar a vida de pessoas que precisassem de apoio. Com o passar dos anos, comecei a aperceber-me que os animais são outras vítimas silenciosas das injustiças no mundo e decidi que ia contribuir para lhes dar voz, juntando-me a associações de proteção animal e ajudando no que fosse necessário. Sabia que o amor que me transmitem o meu cão e os meus 9 gatos não poderia ser exclusivo da espécie. Juntar-me à AVP é mais um contributo e uma promessa de continuar a ser a voz dos que mais precisam.

Contacto

joana.machado@abrirdeasas.pt

Contacto

fernando.teixeira@abrirdeasas.pt

Fernando Teixeira

Gestor de Comunicação

Tenho 27 anos e sou natural do Fundão, tendo tido sempre um contacto próximo com o mundo natural e rural. Comecei o meu percurso de jornalista ainda muito novo, sendo que ainda mantenho essas funções em regime de colaboração, com carteira profissional ativa. Conclui a licenciatura de Direito na Faculdade de Direito da Universidade do Porto e depois o mestrado em Gestão na UBI. Sou atualmente doutorando de Agronegócios e Sustentabilidade na Universidade de Évora, a desenvolver tese relacionada com a aplicabilidade de práticas de responsabilidade no setor agroalimentar português.

Tenho experiência em vários jornais locais e de referência nacional, já fui diretor de um jornal universitário e tenho três livros da minha autoria. Além disso, sou neste momento diretor de Comunicação e Enterprise na Rewilding Portugal, ONG de conservação de natureza em Portugal. Considero-me uma pessoa dinâmica e pro-ativa, focada em resultados. Vejo a comunicação como uma arma capaz de mudar o mundo, para melhor!

Ana Bordalo

Responsável Acção Política

Sou da cidade da Guarda mas vivo em Coimbra, cidade que me acolheu para estudar direito. Na minha busca por perceber o que me move, dei comigo muito envolvida em voluntariado e trabalho na área dos direitos humanos e outras causas sociais. A minha relação com animais não-humanos era muito direccionada aos cães com quem fui crescendo, que faziam parte de uma forma ou de outra da minha família. A adopção de uma gata, que quebrou muitos dos meus estereótipos relacionados à espécie, foi o que motivou a minha curiosidade sobre outras espécies e outras formas de viver com elas. Desde esse momento que fui transformando as minhas práticas diárias, em consonância com os valores que sempre tive mas agora tendo em consideração o impacto que posso minimizar/eliminar em relação a outras espécies. Ao mesmo tempo, comecei a estudar e a envolver-me activamente na Causa dos direitos animais, participando em grupos, organizações e campanhas em que pudesse desenvolver trabalho e ter algum impacto. Actualmente, sou membro da ONG ANIMAL e agora abraço com alegria e espírito de luta este novo desafio de integrar também a AVP com este projecto que traz para a luz do dia a realidade vivida por tantos animais. 

Contacto

joana.machado@abrirdeasas.pt

Os nossos valores

Chegamos para abrir os olhos dos consumidores, para o que esconde a realidade da produção.

Chegamos para abrir as jaulas onde as galinhas vivem exploradas, sem espaço para se mover, sem respirar ar puro, sem acesso a condições mínimas que permitam desenvolver os seus comportamentos naturais mais básicos.

Chegamos para abrir o caminho ao diálogo, à compreensão, ao conhecimento e à empatia.

Chegamos para abrir asas.

Vídeo:

Excerto do documentário "Dominion"

Play Video

Créditos fotográficos © Farm Transparency Project / Dominion

Texto da petição:

Pelo fim do abate de pintos machos

Reconhecemos que esta prática é cruel, inaceitável e desumana, devendo ser legalmente proibida. Consideramos ainda que tal método não se justifica e não é coerente com as políticas de Bem-Estar Animal que a indústria e a legislação portuguesa dizem implementar. 

Queremos ver esta prática abolida e incentivos à investigação de tecnologias mais compassivas na indústria.

Atenciosamente,