Bolo de Baunilha com lemon curd

A querida Ângela Vilhena não quis ficar de fora deste trabalho da Rede Abrir De Asas e, claro, nós também queremos muito provar todas as receitas maravilhosas que ela faz 🙂

Vamos começar por este delicioso bolo!

Massa de bolo de baunilha
Ingredientes
3 chávena de farinha
1 + 1/2 chávenas de açúcar
1 colher de chá de fermento
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de linhaça moída
350 ml de leite de soja
100 ml de óleo vegetal
Sumo de meio limão

Modo de preparação
Pré-aquecer o forno a 180⁰.
Untar ou forrar com papel vegetal a forma da sua preferência.
Misturar numa tigela os ingredientes secos. Num copo medidor, misturar bem os ingredientes líquidos. Deitar esta mistura na tigela dos secos e envolver até obter a consistência de mousse. Se estiver muito seco pode juntar mais um pouco de leite. Levar ao forno durante cerca de 35/40 minutos (bolo) ou 15 minutos (queques).
Rende um bolo de 20 cm ou 24 queques.

Lemon curd
Ingredientes
1/2 chávena de leite de soja
1/2 chávena de açúcar
1 colher de sopa de amido de milho
Sumo e raspa de 2 limões
1 pitada de curcuma

Modo de preparação
Juntar todos os ingredientes numa caçarola e mexer bem com uma vara de arames até diluir bem todo o amido e açúcar. Levar ao lume mexendo sempre. Quando começar a ferver colocar no mínimo e continuar a mexer até engrossar. Tirar do lume e mexer mais um pouco. Passar por um passador para um recipiente. Depois de arrefecer usar como cobertura de bolos, tardes ou gelados.

Ok, agora mãos à obra 🙂 Podem partilhar estas receitas e fazê-las para todos os vossos amigos que ainda acreditam que os ovos são indispensáveis para fazer estas coisas deliciosas 🙂

É tempo de abrir os olhos e abrir as asas, não acham? 🙂 

Vídeo:

Excerto do documentário "Dominion"

Play Video

Créditos fotográficos © Farm Transparency Project / Dominion

Texto da petição:

Pelo fim da trituração de pintos machos

Reconhecemos que esta prática é cruel, inaceitável e desumana, devendo ser legalmente proibida. Consideramos ainda que tal método não se justifica e não é coerente com as políticas de Bem-Estar Animal que a indústria e a legislação portuguesa dizem implementar. 

Queremos ver esta prática abolida e incentivos à investigação de tecnologias mais compassivas na indústria.

Atenciosamente,